Português

Alunos do curso de teatro da UFC apresentam espetáculo no Teatro Universitário

18 de junho de 2019

Foto: Gustavo Portela | Intervenção/bordado: Tupini

A partir da próxima terça-feira (25) até domingo (30), às 19h, o Teatro Universitário Paschoal Carlos Magno (Av. da Universidade, 2210 – Benfica) será palco do espetáculo “Que horas passa o trem da volta?”, décima montagem promovida pelos alunos do curso de Licenciatura em Teatro do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará. A encenação encerra a disciplina de montagem do curso, ministrada, neste semestre, pela atriz e professora Maria Vitória Freitas. A montagem tem classificação indicativa de 14 anos, com ingressos a R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Haverá ainda lista de cortesias para quem não puder pagar – para ter acesso, o interessado deve enviar uma mensagem para o inbox da montagem no perfil do Instagram @xmontagemufc, com até uma hora de antecedência do espetáculo.

O espetáculo tem texto e direção de Maria Vitória Freitas; assistência de direção de Ariza Torquato, Lívian Mendes e Wenner Mesquita; a criação de luz é de Neto Brasil; na operação de luz, Andressa Caitano; Carlos César como Cenotécnico; e os Figurinos são de Hélder de Pádua. Compõem o elenco: Adonai Elias, Alen Costa, Angélica Nunes, Átila Frank, Bernardo Mendes, Carolina Machado, Conceição Soares, Elton, Key Torquato, Gabe Antunes, Jamilly Cavalcante, João Pedro Rabelo, Jocasto de Brito, Luiz Fernando Vieira, Maxilene Alves, Remir Olímpio, Scheylla Riedmiller, Sofia Vasconcelos, Tulipa Magalhães, Tupini e Ynara Nepomuceno.

Sinopse:
“Que horas passa o trem da volta?” é um recorte poético, impulsionado pela história do Hospício Colônia, da cidade de Barbacena-MG. Um lugar que sobreviveu durante décadas e testemunhou o holocausto brasileiro. Uma espécie de “sucursal do inferno”, no qual eram “depositadas” pessoas que eram consideradas inconvenientes para a sociedade.

Em grandes vagões de carga, conhecidos como “trem do doido”, chegavam do Brasil inteiro, os pacientes do Hospital Colônia. O tratamento recebido pelos pacientes do Colônia feria completamente aquilo que podemos denominar de Direitos Humanos. Nesse momento histórico, considerado o “holocausto brasileiro”, estima-se que pelo menos 60 mil pessoas tenham morrido dentro do Hospital Colônia. Trazer à tona a triste memória dessa travessia, marcada pela iniquidade e pelo desrespeito aos direitos humanos, é uma forma de consolidar a consciência social em torno de uma nova postura de entendimento. E a postura de entendimento que o espetáculo enseja trazer é que nenhuma violação dos direitos humanos mais básicos se sustenta por tanto tempo sem a omissão da sociedade, sobretudo uma barbárie como essa. Finalmente, este espetáculo é uma forma de manter viva a memória de mulheres, homens e crianças que perderam a vida em um campo de concentração chamado Colônia.

SERVIÇO:

QUE HORAS PASSA O TREM DA VOLTA? | Décima montagem do curso de Teatro, da Universidade Federal do Ceará
Dias 25 a 30 de junho de 2019, às 19h, no Teatro Universitário |
Texto e direção de Maria Vitória |
Ingressos: R$10 (inteira), R$ 5,00 meia e lista de cortesias para quem não puder pagar (para ter acesso, o interessado deve enviar uma mensagem para o inbox da montagem no perfil do Instagram @xmontagemufc, com até uma hora de antecedência do espetáculo)
Classificação indicativa: 14 anos

Fonte: Profª Maria Vitória Freitas, do Curso de Licenciatura em Teatro da UFC – fone: 85 3366 9409